22 fevereiro, 2018

Uma mão cheia de coisas que a imprensa ignora... ou lhe dá diferente relevo. Leia!

Posted: 21 Feb 2018 05:42 PM PST
Uma notável sátira a Trump e à National Rifle Association WASHINGTON (The Borowitz Report)—A new study released today indicates that … Mais
Posted: 21 Feb 2018 03:36 PM PST
Dividendos mais generosos !“A Galp vai travar investimentos para dar dividendos mais generosos ” e ninguém se escandaliza !O das … Mais
Posted: 21 Feb 2018 03:22 PM PST
Ele anda por aí, e depois de tantas outras personagens meteu-se na pele de Pessoa. Levando a coisa a sério, … Mais
Posted: 21 Feb 2018 03:21 PM PST
Autoeuropa e a Comissão de Trabalhadores acordaram um aumento salarial de 3,2% retroativo a 01 de outubro passado, divulgou em … Mais
Posted: 21 Feb 2018 03:11 PM PST
Existe um partido que, mesmo sem aparecer, participa de fato nas eleições italianas: O Partido da Otan, formado por uma … Mais
Posted: 21 Feb 2018 02:31 PM PST
Os serviços secretos anglo americanos tocam e a imprensa dos dominantes baila “O massacre do século ! “Diz o Publico , … Mais
Posted: 21 Feb 2018 11:28 AM PST
Ler artigo em: Início – CPPC – Conselho Português para a Paz e Cooperação http://bit.ly/2EK7rbY
Posted: 21 Feb 2018 10:35 AM PST
O advogado e historiador norte-americano, Alfred de Zayas, especialista da ONU sobre Promoção da Ordem Internacional Democrática e Equitativa, concluiu, … Mais
Posted: 21 Feb 2018 10:08 AM PST
Sempre que houve convergência entre o PS, o PSD e o CDS-PP, o País e os portugueses andaram pior – e são … Mais
Posted: 21 Feb 2018 09:49 AM PST
O presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz, recebeu na tarde da terça-feira, 21 de … Mais
Posted: 21 Feb 2018 09:48 AM PST
Foram anos de degradação das condições laborais. O capital esmagou o trabalho. Resistir foi duro mas valeu a pena. Os … Mais
Posted: 21 Feb 2018 08:53 AM PST
O Ministério sírio dos Negócios Estrangeiros exigiu a condenação «imediata e firme» das Nações Unidas aos ataques de grupos terroristas … Mais
Posted: 21 Feb 2018 08:28 AM PST
O PCP é o único partido que leva uma iniciativa legislativa ao plenário do Parlamento, no dia em que é discutida … Mais
Posted: 21 Feb 2018 03:48 AM PST
O antigo patrão dos patrões acusou os portugueses de não quererem trabalhar, mas no seu currículo tem pouco trabalho e muitos cargos … Mais
Posted: 21 Feb 2018 03:33 AM PST
As comissões de trabalhadores do grupo Águas de Portugal (AdP) consideraram esta terça-feira, em audição parlamentar na Comissão do Ambiente, que a … Mais

21 fevereiro, 2018

Poesia (uma por dia) - 94



Ele anda por aí, e depois de tantas outras personagens meteu-se na pele de Pessoa. Levando a coisa a sério, quis saber mais do poeta e interrogou, nas redes sociais, se Pessoa teria, não só ouvido p´ra música mas se a ouvia ou se gostaria dela. Reuniu contributos de muitos. 
O meu vai aqui...

Minha alma é uma orquestra oculta
Minha alma é uma orquestra oculta; não sei que instrumentos tange e range, cordas e harpas, tímbales e tambores, dentro de mim. Só me conheço como sinfonia.

Todo o esforço é um crime porque todo o gesto é um sonho inerte.
As tuas mãos são rolas presas.
Os teus lábios são rolas mudas.
(que aos meus olhos vêm arrulhar)

Todos os teus gestos são aves. És andorinha no abaixares-te, condor no olhares-me, águia nos teus êxtases de orgulhosa indiferente.
E toda ranger de asas, como dos (...), a lagoa de eu te ver. Tu és toda alada, toda (...)

Chove, chove, chove...
Chove constantemente, gemedoramente (...)
Meu corpo treme-me a alma de frio... Não um frio que há no espaço, mas um frio que há em vir a chuva...

Todo o prazer é um vício, porque buscar o prazer é o que todos fazem na vida, e o único vício negro é fazer o que toda a gente faz.

20 fevereiro, 2018

Autoeuropa: enquanto por cá se malha nas organizações de quem lá trabalha...


Por cá,
"Nas últimas semanas acentuaram-se os ataques aos trabalhadores da Autoeuropa e às suas organizações representativas, configurando já uma das maiores campanhas de manipulação política e de ingerência externa num conflito laboral de empresa, desenvolvidas desde o 25 de Abril de 1974.
Políticos de direita, representantes patronais, comentadores de várias matizes e pseudo-sindicalistas atropelam-se na comunicação social dominante para ver quem vai mais longe no ataque aos trabalhadores e às suas organizações, colocando-se abertamente ao lado da multinacional alemã, na tentativa de impor um horário de trabalho que vai ao encontro da velha ambição do capital de voltar a considerar todos os dias da semana como dias normais de trabalho.
Cúmulo da hipocrisia, utilizam a táctica do «agarra que é ladrão»". 

Por lá,
"Após uma série de greves de 24 horas e várias rondas de negociações tensas, o sindicato alemão chegou a um acordo com o patronato que consagra um aumento salarial de 4,3% e a possibilidade de redução da semana laboral de 35 para 28 horas, em prol da conciliação familiar.(...) O acordo colectivo foi assinado na madrugada de terça-feira (6 de Fevereiro), em Estugarda, entre o IG Metall e uma associação patronal do Sudoeste da Alemanha, a Südwestmetall, abrangendo cerca de 900 mil trabalhadores dos sectores automóvel, metalomecânico, metalúrgico e eléctrico da região de Baden-Württemberg, onde estão sediadas algumas das mais importantes empresas alemãs." 

19 fevereiro, 2018

Gonçalo M. Tavares, eu um seu leitor e a desconstrução da metáfora


Gonçalo M. Tavares é o autor do conto que ontem recriei. Incapaz de enveredar pelo plágio, uso o estratagema de manter a ideia original (e até o texto) e depois dou-lhe o meu jeito, reforçando a ideia e alargando-lhe o sentido. 
Tratando-se de metáforas, com o mínimo de criatividade, os resultados podem até nem acrescentar nada ao brilhantismo do autor usado, mas alargam o campo de quem lê e interpreta. 

Sem repetir todo o conto, reproduzo o essencial. Conta o conto que o Senhor Calvino treinava os músculos da paciência transportando de um ponto a outro, com colheres de café, um monte de 50 kg de terra, tendo por ali perto uma pá. Gonçalo M. Tavares termina «Paciente, cumprindo a tarefa, sem desistir ou utilizar a pá, Calvino sentia estar a aprender várias coisas grandes com uma pequenina colher.»

A isto deixa a Maria João o comentário, que desconstrói a metáfora:
Pressupondo que a pá corresponda ao ordenado médio deste nosso país e a colher de café ao RSI, não tenho eu feito outra coisa senão aquilo que o senhor Calvino faz... só não o faço por opção própria e sim porque não tenho alternativa.
Será agora de esperar o que fará o Senhor Calvino quando descobrir que não tem saída... nem ele, nem todo o Bairro, nem o País.