20 Agosto, 2014

48 anos de degustação (o segredo está no palato)

... no ano passado foi feriado nacional
as lágrimas sabem a sal
nem sempre sabem mal
os beijos a rebuçados
uns mel outros frutados
e o amor
seja lá isso o que for
mantém o mesmo sabor

a ternura tem um travo
agridoce
suave  suave  suave
até que passe
ou volte a acontecer

o prazer
o sabor que tiver que ser

a discussão
quando acre é posta de parte

se tem sido perfeito o entendimento?
quase sempre
dependendo do momento e do estado
em que se encontra o palato
Rogério Pereira

Ah! uma recomendação: não procure néctares dos deuses, use sabores caseiros e faça, de quando em quando, uma agridoce surpresa (mesmo sem ser sobremesa)


19 Agosto, 2014

Em Dia Mundial da Fotografia, a minha galeria...

A LUZ E O MOVIMENTO: Daniel Rodrigues, Sebastião Salgado e Eduardo Gageiro
CLASSES, A CORES: Rui Pascoal, José Ferreira e Hugo Macedo
NAUFRÁGIOS: Fernando Santos (Chana)




As galerias são mais que repositórios de quadros, de fotos e outras formas de arte. Esta minha é de fotos, expondo todos os meus mestres, que mostram para lá do que se vê e me ensinam a ver. Essa a sua maestria: mostrar a paisagem humana, que é (continua a ser) a paisagem do valer a esperança, do valer viver, do valer valer.

Nada de retratos, esses, tiro eu!

- a última foto tem um valor especial
adivinhem qual! -
NOTA:  O espaço e os títulos agrupados são da exclusiva responsabilidade desta galeria 

FEZ NA SEMANA PASSADA 5 ANOS E CHAMA-SE DIOGO: Luis Azevedo


Casa cheia e uma lua enorme, que mais pode alegrar um homem?



As tais férias que passaram depressa (Curral da Pedra/Stª Catarina do Bispo)
- reportagem fotográfica no outro lado

18 Agosto, 2014

Rentrée do "Conversa" depois de umas férias que passaram depressa


"Toda a tristeza é reaccionária; todo o pessimismo é retrógrado"! Por aqui (re)começo, pois não há melhor citação a condizer com o que me vai na alma, no juízo e no coração. Passei sete dias a pensar nisso. Nisso e na teimosia em regressar à escrita avinagrando a tristeza e o pessimismo.
Há quem se entristeça  e não reaja. Há quem cuide, por pessimismo, que o mundo passa por uma desgraça, que o País foi evadido por criaturas cretinas que tomaram conta dos nossos destinos e que, a estas, se sucederão outras ameaças cada vez menos humanas até que da humanidade nada mais reste que uma longa marcha de acontecimentos funestos. Há riscos disso, se prevalecer esse crer.